Esse clima contaminou as histórias em quadrinhos, ganhando dimensões épicas na saga Guerra Civil, em que os principais super-heróis da editora Marvel entraram em luta numa série crossover que teve um papel determinante em todo o Universo Marvel, ressoando em seu Universo Cinematográfico e ganhando adaptações para a literatura e videogames.O livro Os Dois Lados da Guerra Civil analisa a construção narrativa desse épico, sua história, contexto editorial e histórico, seus criadores, as narrativas paralelas e as consequências para todo o Universo Marvel.Na abordagem histórica, os autores analisam o quanto o clima de medo e tensão provocado pelo 11 de Setembro influenciou a saga ficcional que opôs Homem de Ferro ao Capitão América, mostrando porque a postura ideológica dos dois heróis diz tanto sobre conceitos que abrangem o Estado, a Liberdade, a Segurança, a Tolerância e o Preconceito. Estabelecem também um paralelo entre a Guerra Civil americana (1861-1865), que moldou a identidade daquele país, e a Guerra Civil da Marvel. Aprofundando a análise, os autores questionam o papel dos super-heróis em relação ao Estado -- a lógica e a coerência dos super-heróis na legalidade ou fora dela, e até que ponto o Estado pode ou deve intervir nas ações desses seres que já foram chamados de 'pessoas de destruição em massa', discutindo qual seria a função do herói no contexto de uma Guerra Civil.

Os Dois Lados da Guerra Civil
R$30,00
Esgotado
Os Dois Lados da Guerra Civil R$30,00

Esse clima contaminou as histórias em quadrinhos, ganhando dimensões épicas na saga Guerra Civil, em que os principais super-heróis da editora Marvel entraram em luta numa série crossover que teve um papel determinante em todo o Universo Marvel, ressoando em seu Universo Cinematográfico e ganhando adaptações para a literatura e videogames.O livro Os Dois Lados da Guerra Civil analisa a construção narrativa desse épico, sua história, contexto editorial e histórico, seus criadores, as narrativas paralelas e as consequências para todo o Universo Marvel.Na abordagem histórica, os autores analisam o quanto o clima de medo e tensão provocado pelo 11 de Setembro influenciou a saga ficcional que opôs Homem de Ferro ao Capitão América, mostrando porque a postura ideológica dos dois heróis diz tanto sobre conceitos que abrangem o Estado, a Liberdade, a Segurança, a Tolerância e o Preconceito. Estabelecem também um paralelo entre a Guerra Civil americana (1861-1865), que moldou a identidade daquele país, e a Guerra Civil da Marvel. Aprofundando a análise, os autores questionam o papel dos super-heróis em relação ao Estado -- a lógica e a coerência dos super-heróis na legalidade ou fora dela, e até que ponto o Estado pode ou deve intervir nas ações desses seres que já foram chamados de 'pessoas de destruição em massa', discutindo qual seria a função do herói no contexto de uma Guerra Civil.