As modificações dos hábitos de vida da sociedade moderna levaram ao expressivo aumento da prevalência da obesidade em todo o mundo. A maior disponibilidade de alimentos ricos em calorias, em grandes porções, aliada ao sedentarismo e às mudanças socioculturais são fatores implicados na epidemia moderna de obesidade. A fome não é o principal motivo: as tensões, os desgostos, as ansiedades do dia a dia associam-se ao comer de forma inadequada e ao ganho de peso.

A obesidade, especialmente em suas formas mais graves ou obesidade mórbida, associa-se com diversas comorbidades, o que se traduz em alta morbimortalidade, custos à saúde e alteração da qualidade de vida dos indivíduos acometidos.

O Brasil, país que vive o fenômeno da transição socioeconômico-alimentar, experimenta prevalência crescente da obesidade, inclusive da obesidade mórbida. Essa situação tem gerado grande preocupação aos gestores da saúde pública e suplementar, com necessidade de políticas específicas.

O tratamento da obesidade grave é um enorme desafio, porque os tratamentos clínicos são pouco eficazes em médio e longo prazos. Além disso, em geral, deparamo-nos com portadores de múltiplos distúrbios clínicos, alterações psíquicas e distúrbios alimentares.

Cirurgia bariátrica e metabólica

R$111,00
Cirurgia bariátrica e metabólica R$111,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

As modificações dos hábitos de vida da sociedade moderna levaram ao expressivo aumento da prevalência da obesidade em todo o mundo. A maior disponibilidade de alimentos ricos em calorias, em grandes porções, aliada ao sedentarismo e às mudanças socioculturais são fatores implicados na epidemia moderna de obesidade. A fome não é o principal motivo: as tensões, os desgostos, as ansiedades do dia a dia associam-se ao comer de forma inadequada e ao ganho de peso.

A obesidade, especialmente em suas formas mais graves ou obesidade mórbida, associa-se com diversas comorbidades, o que se traduz em alta morbimortalidade, custos à saúde e alteração da qualidade de vida dos indivíduos acometidos.

O Brasil, país que vive o fenômeno da transição socioeconômico-alimentar, experimenta prevalência crescente da obesidade, inclusive da obesidade mórbida. Essa situação tem gerado grande preocupação aos gestores da saúde pública e suplementar, com necessidade de políticas específicas.

O tratamento da obesidade grave é um enorme desafio, porque os tratamentos clínicos são pouco eficazes em médio e longo prazos. Além disso, em geral, deparamo-nos com portadores de múltiplos distúrbios clínicos, alterações psíquicas e distúrbios alimentares.