“Tempora mutantur, nos et mutamur in illis”
Os tempos mudam, e nós mudamos com eles
Lothar I (795-855)

O provérbio latim, acima citado, remete ao imperador alemão Lothar I (795-855) que o formulou de maneira modificada: “Omnia mutantur, nos et mutamur in illis” (Tudo muda, e nós mudamos com tudo).

A obra Imunobiológicos na Dermatologia, concebida pelo Professor Ricardo Romiti, contou com a colaboração de renomados colegas brasileiros e inclui diferentes áreas de vital interesse na Dermatologia: dermatite atópica, urticária, psoríase, oncologia cutânea, hidradenite supurativa, dermatoses bolhosas autoimunes e colagenoses, evidenciando uma posição atualizada da Dermatologia moderna. A citação acima vai direto ao ponto. A fim de compreender a intenção dos autores desta obra, devemos olhar retrospectivamente o que tivemos, do que dispomos e o que teremos no campo da terapêutica dermatológica no futuro. Aquele que já viveu bastante, pode vislumbrar as limitadas opções terapêuticas da nossa especialidade no passado. Por exemplo, na psoríase: signolina (antralina), ou alcatrão, associados à luz ultravioleta eram as possibilidades, causavam sujeira e péssimo odor. Seguiram-se os corticoesteroides tópicos e sistêmicos, associados a tratamentos oclusivos, o metotrexato, psoralênicos e UVA, banhos com sais marinhos, UV de alta intensidade e, por fim, os ácidos fumáricos. Os tempos mudam...

Biológicos na dermatologia

R$83,00
Biológicos na dermatologia R$83,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

“Tempora mutantur, nos et mutamur in illis”
Os tempos mudam, e nós mudamos com eles
Lothar I (795-855)

O provérbio latim, acima citado, remete ao imperador alemão Lothar I (795-855) que o formulou de maneira modificada: “Omnia mutantur, nos et mutamur in illis” (Tudo muda, e nós mudamos com tudo).

A obra Imunobiológicos na Dermatologia, concebida pelo Professor Ricardo Romiti, contou com a colaboração de renomados colegas brasileiros e inclui diferentes áreas de vital interesse na Dermatologia: dermatite atópica, urticária, psoríase, oncologia cutânea, hidradenite supurativa, dermatoses bolhosas autoimunes e colagenoses, evidenciando uma posição atualizada da Dermatologia moderna. A citação acima vai direto ao ponto. A fim de compreender a intenção dos autores desta obra, devemos olhar retrospectivamente o que tivemos, do que dispomos e o que teremos no campo da terapêutica dermatológica no futuro. Aquele que já viveu bastante, pode vislumbrar as limitadas opções terapêuticas da nossa especialidade no passado. Por exemplo, na psoríase: signolina (antralina), ou alcatrão, associados à luz ultravioleta eram as possibilidades, causavam sujeira e péssimo odor. Seguiram-se os corticoesteroides tópicos e sistêmicos, associados a tratamentos oclusivos, o metotrexato, psoralênicos e UVA, banhos com sais marinhos, UV de alta intensidade e, por fim, os ácidos fumáricos. Os tempos mudam...